Atualize Já

 
Sem categoria

Professora é ofendida após avaliar serviço de lanchonete : 'Me deixa mais rico, otária'

sdadmin - Publicado em 09/11/2019 às 21:56.

A professora Bárbara Silva, de 25 anos comprou um lanche de R$ 13 no último domingo (17) e no mesmo dia decidiu postar um comentário avaliando a empresa. A compra foi feita por meio de um aplicativo de entrega. O que ela não imaginava é que após fazer a avaliação que é uma opção oferecida pelo aplicativo, ela seria ofendida.

Em seu comentário a professora afirmou que o lanche chegou frio, faltando alguns ingredientes e também reclamou da embalagem. No mesmo comentário ela ainda afirma que ligou para a empresa, entretanto não foi atendida.

Embora ela tenha feito seu comentário no dia 17, apenas na última quinta-feira (21) a empresa a respondeu. A empresa chamou a professora de otário e de biscate. Ainda foi dito que ela foi a única pessoa que reclamou do lanche. Em resposta a empresa usou termos de baixo calão.

iFood emite nota de esclarecimento

Na última sexta-feira (22) o iFood, que é o aplicativo que a professora usou para realizar a compra, emitiu uma nota no qual esclareceu que a reclamação da professora foi recebida e que eles estão apurando o caso para que seja possível tomas todas as medidas que forem necessárias.

O lanche chegou na hora certa, porém não como a professora esperava

A professora ainda revelou que quando algo assim acontece é de costume dela fazer a reclamação diretamente com o responsável pela empresa e nunca utilizando as redes sociais. Bárbara ainda afirma que precisou remontar o lanche antes de poder consumi-lo.

Reportagem do G1 faz contato com a lanchonete

O G1 entrou em contato com Giovani Silva que se identificou como o responsável pela lanchonete Big Burguer. Silva afirma ao G1 que a respostada dada a professora foi motivada por causa de uma inimizade entre eles.

Giovani ainda afirmou que o motoboy que havia realizado a entrega para a cliente foi ofendido por ela. Ainda segundo o responsável pela lanchonete o motivo da ofensa seria porque a maquina de cartão não havia funcionado no momento do pagamento. O proprietário da lanchonete também afirma que vai procurar a justiça para que Bárbara faça uma retratação.

Giovani ainda argumentou que Barbára foi a única cliente que reclamou e que outros clientes compraram e se alimentaram com o mesmo tipo de lanche e ao invés de reclamar, eles elogiaram a empresa.

O g1 publicou a notícia em sua página no Facebook. A publicação foi feita na página a cerca de 12 horas e já conta com mais de 4 mil comentários, 26 mil curtidas e mais de 2600 compartilhamentos. Um dos comentários foi feito em tom de irônia e o internauta diz que parece que a iFood contratou a Rochele para fazer atendimento. Esse comentário recebeu mais de 7 mil curtidas. Muitos outros comentários eram de pessoas que se mostravam completamente indignadas com a postura da lanchonete em responder usando termos pejorativos. Alguns internautas sugeriram que Bárba processasse a empresa.

iFood

A empresa iFood é brasileira, atua no ramo de entrega de comidas e funciona totalmente online. Ela foi fundada em 2011 e se tornou uma líder nesse setor na América Latina. Inclusive a empresa está presente na Colômbia, México e na Argentina.

A empresa foi fundada como uma startup e com isso ela recebeu investimentos de capital de risco. Grupos como o de Jorge Paulo Lemann investiram na empresa e no ano de 2014 a mesma foi adquirida pela Movile.